Um destino não planejado as vezes pode trazer experiências únicas e mudar uma viagem inteira. Quando estávamos em Bonito o plano era ir direto para o Pantanal, mas no meio do caminho recebemos uma dica sobre Bodoquena, um lugar pra lá de bonito, então desviamos o nosso trajeto e com certeza foi uma excelente decisão.

Muita gente que visita Bonito e Pantanal acaba desconhecendo Bodoquena, município a 70km de Bonito sentido o Pantanal, esconde belezas naturais pouco exploradas pelos turistas e por isso é ideal para quem procura passeios mais rústicos e não tão comerciais. Lá você tem a oportunidade de conhecer lugares semelhantes a Bonito, mas com menos estrutura e com preços bem mais acessíveis.

Seguindo a dica que recebemos do Breno no Hi Hostel de Bonito, fomos pra Bodoquena com intenção de conhecer o Refúgio Canaã, um local paradisíaco que fica dentro de um vale onde não pega sinal de celular e não tem wifi, possibilitando uma conexão maior com a natureza.

Ao chegar no refúgio a estrutura do lugar chamou atenção, pois apesar do isolamento da cidade, o local possui excelente estrutura de day use, hospedagem e camping para mais de 200 pessoas, é enorme e oferece opções para todos os gostos e bolsos. É a mistura ideal de estutura e alguns confortos sem ofuscar a natureza bruta que está em volta.

[smart-grid last_row=”justify” margins=”15″ captions=”false” title=”false”]

[/smart-grid]

Fomos recebidos pelo Marquinho do @marcandomundo que era gerente do refugio e além de nos mostrar com detalhes todas as belezas do local, também nos deu 50% de desconto no valor do camping, porque fomos durante a semana e o refúgio estava vazio (como viajante ele também se identificou com o nosso estilo de viagem e quis dar esse apoio também). Pagamos R$ 25,00 por pessoa em setembro de 2017.

Como havíamos dirigido desde Bonito, chegamos lá no início da tarde e aproveitamos esse final de dia para curtir o rio que passa por dentro da propriedade e pular de tirolesa na água várias vezes. Na verdade, a ideia era apenas passar a noite ali, mas o lugar no encantou tanto que ficamos dois dias por lá.

[smart-grid last_row=”justify” margins=”15″ captions=”false” title=”false”]

[/smart-grid]

Passeio de bug, Cacheira Boca da Onça e Acro Yoga

Logo na manhã do primeiro dia o Marquinho nos chamou para dar um passeio de bug com destino a uma parte do rio que tem vista da cachoeira Boca da Onça, uma das mais famosas na região e oferecido nas agências de turismo de Bonito. Nós decidimos não conhecer a cachoeira quando estávamos em Bonito, pois o passeio era muito caro, então foi uma surpresa ter essa visão, mesmo que de longe.

[smart-grid last_row=”justify” margins=”15″ captions=”false” title=”false”]

[/smart-grid]

Continuamos o dia curtindo esse pedacinho do rio Salobra, afluente do rio Miranda, que possui águas cristalinas de um tom esverdeado por causa do calcário presente no fundo. Esse é o mesmo que corta mais a frente a propriedade do Refúgio Canaã.

Voltando para o refúgio nós conhecemos os animais do lugar, que por sinal são muitos, tem Ema, Pavão, Arara, Peru, Papagaio e muitos outros bichinhos circulando livremente pela propriedade. As araras roubam o show e são um caso à parte, a arara azul Esmeralda é bem dócil e interage bem com os humanos, seu parceiro Pimpy, a Arara Vermelha Tequila e sua amiga Canindé também esbanjam beleza, mas preferem manter uma certa distância.

[smart-grid last_row=”justify” margins=”15″ captions=”false” title=”false”]

[/smart-grid]

Como fomos para o refúgio em um dia de semana, fora de temporada, tínhamos a propriedade quase toda para nós, com exceção do Marquinho e da Isabella, uma alemã com descendência brasileira que estava de férias por ali e falava português.

Ela nos introduziu ao mundo da Acro Yoga, uma mistura de yoga com acrobacia que é muito legal. Ela bem que tentou nos ensinar, mas não conseguimos passar muito disso aí.

[smart-grid last_row=”justify” margins=”15″ captions=”false” title=”false”]

[/smart-grid]

Turismo de base comunitária

O turismo da região de Bodoquena é focado em uma base comunitária, em que os próprios moradores locais oferecem algumas atrações como um café da manhã ou um local para passar a noite. Isso é diferenciado e muito interessante tanto para quem oferece os serviços quanto para quem visita pois permite uma experiência mais real com um contato próximo de quem realmente vive e conhece aquele lugar.

O Refúgio Canaã também é pensado dessa forma, principalmente focando em receber os moradores do Mato Grosso do Sul que não podem frequentar Bonito com muita frequência devido aos altos preços praticados.

Tudo isso somado a experiência que tivemos, nos fazem ter certeza que tanto o Refúgio Canaã como a região de Bodoquena como um todo devem ser parada obrigatória para que está passando por aquela região.


Dicas Traveleiros